Amigdalite

Amigdalite

As amígdalas estão estrategicamente localizadas na parte posterior da boca e fazem parte do sistema de defesa do organismo contra bactérias e outros microrganismos que entram pela boca e nariz. 

A amigdalite é a inflamação das amígdalas. Essa inflamação é uma reação a agentes estranhos que se traduz por aumento de tamanho da amígdala e desenvolvimento de uma cor mais avermelhada. Tanto os vírus como as bactérias podem causar as amigdalites. 

A toma de antibióticos na amigdalite apenas está recomendada na amigdalite bacteriana.

 


Diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito pelo médico de clinica geral ou outra especialidade (por exemplo otorrinolaringologista) através de:

  • Exame visual
  • Exame laboratorial com colheita das secreções.


Sintomas

Dor de garganta de inicio repentino e dificuldade em engolir. A dor pode irradiar para os ouvidos e ser acompanhada de febre, dores de cabeça, vómitos e mal estar generalizado.

A amigdalite pode complicar-se e originar doenças graves como febre reumática, glomerulonefrite aguda ou um abcesso periamigdaliano.





Sinais

Amígdalas hipertrofiadas e avermelhadas cobertas ou não por pus amarelado ou por uma película branca.

(As amígdalas hipertrofiadas significa que elas estão com o tamanho muito aumentado e por vezes podem tapar a garganta dificultando até o simples ato de engolir a própria saliva). 



Tratamentos

O tratamento da amigdalite vai depender do agente causador (vírus, bactérias ou outro) e pode ser feito segundo diferentes terapêuticas:

  • Farmacológico: antibiótico, anti-inflamatórios.
  • Aromaterapia: inalação 1x por dia de essência de bergamota durante 1 semana.
  • Fitoterapia: cápsulas ou chá de equinácea ou camomila.
  • Homeopatia: aconitum.
  • Naturopatia: iogurtes com probióticos em associação ao antibiótico.

 



As informaçðes e sugestðes contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas.