Gonorreia

Gonorreia

A gonorreia é uma doença de transmissão sexual muito frequente causada por uma bactéria, a Neisseria gonorrheae. A bactéria infeta preferencialmente o tecido reprodutivo como o muco da uretra (canal por onde a urina é eliminada) e o colo uterino (fundo do útero). A atividade sexual pode transmitir a bacteria a outras zonas e por isso a gonorreia pode aparecer noutros locais como o reto, a garganta e a conjuntiva (membrana branca) dos olhos. Se não for tratada pode espalhar-se através da corrente sanguínea a outras partes do corpo e dar origem a outras complicações como por exemplo a artrite.

Os sintomas surgem cerca de 2 a 10 dias após o contágio mas muitas mulheres não têm nenhum sintoma apesar de estarem contaminadas o que facilita a transmissão da doença a outros parceiros.

A gonorreia afeta homens e mulheres.

 


Diagnóstico

O diagnóstico é baseado nas queixas do doente e num exame laboratorial das secreções. Neste exame consegue-se isolar e identificar a bactéria. 



Sintomas

Nas mulheres os sintomas surgem 7 a 21 dias após a infeção e podem ser ligeiras ou intensas. As mulheres referem: dores na região inferior do abdómen, hemorragia, dor ao urinar. Nem todas apresentam a secreção purulenta.

Nos homens os sintomas surgem 2 a 7 dias após a infeção e são descritos como dor ou incómodo ao urinar e secreção com pus que sai do pénis.

 





Sinais

Secreção purulenta na zona afectada (vagina, pénis, garganta, ânus, olhos).



Fases da doença

Se a doença não for tratada atempadamente pode originar a esterilidade definitiva do/a doente.

A propagação da bactéria através do sangue origina inchaço das articulações que podem deixar de se moverem e causar dores muito fortes.

Caso a bactéria se propague para a pele (epiderme) tornam-se visíveis pontos cheios de pus.

Também o coração e o fígado podem ser afectados pela acção desta bactéria.

Apesar de as complicações não serem fatais podem tornar-se extremamente dolorosas.



Tratamentos

O único tratamento eficaz para a gonorreia são os antibióticos. Nas afeções oculares utilizam-se colírios de nitrato de prata.

Podem ser utilizados analgésicos como o paracetamol e a aspirina para o alívio da dor em situação dolorosas devido á gonorreia.

 



Prevenção

Sendo a gonorreia uma DST a sua prevenção passa pela prática de sexo seguro. A prática sexual deve ser sempre protegida pelo uso de preservativo mesmo que se utilizem métodos anticoncecionais.

A bactéria responsável pela gonorreia consegue sobreviver algum tempo em superfícies inertes como tampos de sanita e por esse motivo deve evitar sentar-se nesses locais em particular se forem públicos.

Uma forma de prevenir a contaminação dos recém- nascidos é realizar o testes pré natal para detetar a infeção na grávida. Nestes casos o bebé terá que nascer de cesariana e evitar o parto vaginal.

 



As informaçðes e sugestðes contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas.