Psoríase

Psoríase

É uma doença crónica da pele, não contagiosa. O seu aspeto, extensão e evolução é muito variável. Apresenta lesões avermelhadas, espessas e descamativas (com placas de cor branco-prateadas) nos cotovelos, joelhos, região lombar e couro cabeludo. As lesões podem-se estender ao corpo todo. Por vezes as unhas podem ser afetadas também.

A causa da psoríase é desconhecida pensando-se que possa ter uma base genética.

Existem diversos tipos de psoríases que se classificam de acordo com o seu aspeto:

  • Psoríase no couro cabeludo
  • Psoríase em placas ou psoríase vulgar
  • Psoríase gutata - aparece de forma súbita, principalmente em crianças e após uma faringite e toma a forma de gota. Pode evoluir para a psoríase vulgar ou regredir totalmente.
  • Psoríase inversa - o aspeto é atípico e localizam-se nas pregas (axilas, virilhas e dobra mamária) o que pode dificultar o diagnóstico.
  • Psoríase eritrodermica - a pele adquire toda ela um aspeto avermelhado.
  • Psoríase com pústulas - ao contrário das formas anteriores a psoríase com pústulas surge associada a febre e mal estar além das pústulas (bolhas com pus no seu interior).

O tratamento é feito com recurso a pomadas e a radiações ultra violetas e em alguns casos com comprimidos. A fitoterapia também oferece alternativas no controlo da psoríase.


Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo médico através das queixas do doente e da observação das lesões. Poderão ser feitos exames complementares para diferenciar de outras doenças da pele de aspeto semelhante.



Sintomas

Sem sintomatologia significativa.





Sinais

Lesões cutâneas vermelhas e descamativas que predominam nos joelhos, região lombar ou couro cabeludo. Por vezes está associado a alterações do aspeto da unha e a queixas articulares.



Tratamentos

Terapêuticas Tópicas

A aplicação de loções, cremes ou pomadas sobre a pele de modo regular é importante para o controlo da descamação, constituindo um importante complemento para os restantes tratamentos. São utilizados:

  • Emolientes (São produtos que fornecem água e gordura á pele amaciando-a)
  • Queratolíticos (são produtos capazes, pelo seu efeito abrasivo, de retirar a camada superficial da pele em excesso)
  • Corticosteroides tópicos (são muito eficazes no controlo das lesões. Existem com diferentes níveis de potência, adequados para diferentes situações e áreas do corpo. Para evitar efeitos secundários não devem ser usados de forma continuada e a sua utilização deve restringir-se a pequenas áreas do corpo.)
  • Análogos da vitamina D (Interferem no ciclo de renovação celular, controlando a descamação.)
  • Outros: Alcatrão, ditranol. 

 

Sol

A helioterapia é sem dúvida o meio de tratamento mais barato e acessível. A exposição à luz solar (espectro ultravioleta) induz uma melhoria na maioria dos casos. Contudo, esta deverá ser feita com moderação, uma vez que as queimaduras solares agravam a psoríase.

 

Fototerapia

Exposição da pele a fontes artificiais de luz ultravioleta (UV) em sessões regulares, com doses de UV adequadas a cada doente e durante períodos predeterminados. Na fototerapia UVB é usado o espectro de radiação UVB e a na PUVA é necessária a aplicação local ou por via sistémica de um agente sensibilizaste à luz UVA (psoraleno).

 

Medicamentos sistémicos (via oral ou injetáveis)

Usados nos casos mais graves ou resistentes ao tratamento. Implicam um acompanhamento médico minucioso.

  • Os retinoides normalizam a proliferação e diferenciação das células da epiderme. As mulheres em idade fértil só os podem usar se forem estabelecidas medidas de contraceção rigorosas, por risco de malformações no feto.
  • Metotrexato e ciclosporina interferem com mecanismos inflamatórios e imunitários na base da doença. 
  • Agentes biológicos (Etanercept, Adalimumab, Infliximab): Atuam seletivamente sobre determinados componentes do sistema imunitário. Representam a área em que se verificaram os progressos mais recentes.

 

Fitoterapia

  • O óleo de onagra reduz a inflamação, a secura e o prurido melhorando o estado geral da pele.
  • A pomada de casca de uva-do-Oregon inibe o aparecimento de substâncias inflamatórias e influencia o crescimento e multiplicação das células. Por esses motivos é utilizada contra a psoríase.


Prevenção

Não existe forma de prevenir a psoríase. Pode-se é controlar a doença e diminuir os períodos de exacerbação dos sintomas.



As informaçðes e sugestðes contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas.