Xerostomia

Xerostomia

A xerostomia não é uma doença mas sim um sintoma.

A pessoa com xerostomia tem uma sensação (subjetiva) de boca seca.

A saliva é fundamental para o bom funcionamento dos tecidos da boca e para uma boa percepção dos sabores dos alimentos. Uma saliva insuficiente ou de má qualidade pode originar doenças na boca, dificultar a deglutição dos alimentos e até a fala. Por isso a xerostomia tem consequências físicas mas também psicológicas e sociais.

A saliva é produzida pelas glândulas salivares que se localizam na cavidade bucal.

A xerostomia pode resultar de três causas básicas:

  • Factores que afetam a função salivar: emoções, jejum frequente, doença de Parkinson, menopausa.
  • Factores que alteram a secreção: encefalites, tumores cerebrais, tabagismo, desidratação, fármacos.
  • Alterações nas próprias glândulas salivares: infecções, tumores, remoção das glândulas salivares, doenças autoimunes, radioterapia.


Diagnóstico

O diagnóstico é essencialmente clinico (isto é, baseado nas queixas e nos sinais apresentados pelo doente).

O médico irá observar pormenorizadamente o estado da boca e a situação funcional real podendo utilizar métodos quantitativos para determinar a secreção salivar em repouso ou após estimulo.

O médico poderá perguntar se o doente tem necessidade de molhar a boca, especialmente á noite, se consegue comer uma bolacha sem beber água, se a língua se cola ao céu da boca ou se ao mastigar a comida adere aos dentes.



Sintomas

O doente queixa-se de:

  • Desconforto pela sensação de secura na boca.
  • Ardência bucal (glossodinia),
  • Perda de funções por dificuldade de deglutição e articulação de palavras.
  • Maior número de infecções da mucosa bucal e cáries dentárias.




Tratamentos

Antes de qualquer tratamento há que avaliar e descobrir a origem da xerostomia pois o tratamento pode passar pela eliminação do agente causador:

  • Controlar o uso de medicamentos que possam causar xerostomia.
  • Controlar a doença base sempre que possível
  • Hidratação oral local e tópico mas também através da ingestão de água por via oral.

 

Tratamento sintomático:

  • Tentar aumentar a produção de saliva (por exemplo: mastigar pastilhas elásticas ou através da toma de fármacos).
  • Chupar comprimidos de vitamina C (a vitamina C diminui a viscosidade da saliva).
  • Usar substitutos da saliva á base de carboximetilcelulose ou mucinas naturais.
  • Outras opções naturais: água com umas gotas de limão, solução de bicarbonato utilizados como colutório.
  • Outras medidas: retirar as próteses dentárias durante a noite e deixá-las numa solução desinfetante, a dieta deve ser á base de líquidos ou liquefeita e com preferência por alimentos cremosos e frios. Se necessário humedecer o ambiente e fazer nebulizações.


Estes doentes devem evitar o consumo de tabaco e álcool e reduzir o de café.



As informaçðes e sugestðes contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas.