Zona

Zona

A zona surge quase sempre na idade adulta e resulta da reativação da infeção pelo vírus da varicela contraída durante a infância. Quando se contrai o vírus pela primeira vez desencadeia-se a varicela e depois das lesões desaparecerem o vírus fica alojado nas células nervosas do organismo como que adormecido. Em determinadas situações, como por exemplo diminuição das defesas, o vírus é reativado e provoca doença que é designada por Zona. 

Aparece com mais frequência em indivíduos com mais de 50 anos e normalmente só acontece uma vez, sendo raro o doente desenvolver a zona mais do que uma vez.


Diagnóstico

O diagnóstico baseia-se na distribuição característica das lesões ao longo do trajeto de um nervo. Pode acontecer em qualquer zona do corpo no entanto as lesões formam sempre o trajeto do nervo infetado. 

Poderão ser pedidos exames complementares como por exemplo análises ao sangue para verificar o estado imunitário do doente.

Quando a zona surge no rosto o diagnóstico rápido é muito importante para evitar complicações e sequelas nomeadamente a cegueira.



Sintomas

Os casos típicos da zona apresentam inicialmente um mal-estar geral, alterações gastrointestinais, febre e dor no local do corpo inervado pela raiz do nervo infetado. Por vezes a dor prolonga-se depois de curada a zona.





Sinais

Os sinais surgem dois a três dias após os sintomas iniciais. Surge rubor e edema e aparecem manchas vermelhas que evoluem para vesiculas com líquido que em uma semana secam e formam crostas. Normalmente não ficam cicatrizes e em duas semanas o doente recupera totalmente. Por vezes a dor localizada permanece para além da cura das vesiculas. A esta dor chama-se nevralgia pós-herpética.



Tratamentos

O tratamento da zona passa pelo alívio dos sintomas e uma tentativa de reduzir a carga viral (isto é reduzir a quantidade de vírus alojados no nervo e impedir o seu crescimento). Não existe cura para a zona.

O tratamento de um doente com zona pode ser feito com recurso a:

  • Medidas farmacológicas (utilizando por exemplo medicamentos antivirais ou analgésicos), 
  • Acupuntura – muito útil no alívio da dor pós-herpética.
  • Fitoterapia – aplicações de compressas embebidas em produtos calmantes, desinfetantes e emolientes como o aloé vera, sumo de alho francês ou chá de hortelã ajudam a aliviar as bolhas.
  • Meditação - pode ser muito útil no alívio da dor pós-herpética
  • Terapia pela nutrição – alimentos ricos em Vitamina E parecem reduzir a dor pós-herpética e os ricos em vitamina C aceleram a cicatrização da pele.

Os doentes podem realizar banhos tépidos com uma chávena de farinha coloidal ou de bicarbonato de sódio para aliviar o mal-estar causado pelas vesiculas. Á medida que as vesiculas vão cicatrizando o doente deve colocar óleos ou cremes com vitamina E para facilitar o processo.



As informaçðes e sugestðes contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas.